20 Dec 2019

Atão pronto, elimina-se, foi tudo o que consegui ouvir, porque tinha um cansaço sobre mim pesado como chumbo e soturno como as avé marias, não pensasse eu na libertação daqui a duas horas e teria um desejo absurdo de sofrer, já sabemos que é aí que vamos dar ‘nas nossas ruas, ao anoitecer,/ Há tal soturnidade, há tal melancolia, / Que as sombras, o bulício, o Tejo, a maresia/ Despertam-me um desejo absurdo de sofrer.’ depois penso que quero tanto um chocolate forte quente ou um Glühwein ou um chá de menta mas não há se não palavras vagas com alíneas, números, relatórios polvilhados de nomes, decretos e mais coisas que se me varrem neste desejo de me evadir ali pela fresta da janela que dá para a horta. E tenho tanto de tudo: cansaço, sono, desespero, um desejo absurdo de não ser aqui nem estar ali. Do lado de lá há um rosto de olhos sorridentes que me quer falar, e eu falo de volta, cortesia é quase amor e é chegado o tempo de ser alegre porque o natal chegou à cidade e também foi nesse momento que disse ‘não sejas bruta, é Natal no mundo, Lisete’ mas a Lisete não quis ouvir e lá continuámos com medidas, riscos de retenção, sala de estudo, esclarecimento de dúvidas, trabalho colaborativo em sala de aula, encarregados de educação e coisas assim que voavam desalvoradas para cá e para lá. A Lisete também contribuiu com concentração, estudo e empenho. Por esta altura rodo o anel de âmbar e madeira que trago no dedo, impaciente, ‘One Ring to rule them all, One Ring to find them,One Ring to bring them all and in the darkness bind them.' estaria melhor na Terra Média onde há sol e planícies verdejantes e hobbits para me alegrar. Pronto, então se não há mais nada...ouço dizer e tudo se levanta rápido, desejos de boas festas e palavreado de ocasião, rio-me com a Lisete, 'estás bruta, mulher', ela retorque 'não estou, sou, mas pelo menos digo o que penso' e atira-me 'e tu cala-te que és igual' e assinto 'sou pois'. Diz que há Natal à espera e eu já nada sei de coisa nenhuma. Um chocolate, um Glühwein, um chá de menta. 'Vamos embora', disse a Lisete, depois de revelar um mal que a traz aflita. Vontades, males, desejos, desesperos e cansaço. Fomos todos.

No comments:

Post a comment